Checklist: 9 passos antes de enviar o seu ficheiro para a gráfica

 

Quer receber os seus produtos impressos tal como os imaginou? Então, verifique as nossas dicas de produção gráfica e garanta que não existem erros de impressão!

 

 

1. Escolha os programas certos para editar

 

Uma das principais regras é criar o ficheiro num programa adequado. Word, Excel e Power Point não são programas de edição gráfica e, por isso, não permitem controlar a resolução de imagens e não estão preparados para interpretar o sistema de cores CMYK.

Opte por softwares de edição – o Photoshop, o Illustrator, o Corel ou o Indesign são excelentes opções.

 

 

2. Não utilize cores em RGB

 

Se o seu ficheiro contém imagens, preenchimento ou contornos em RGB, deverá colocar em CMYK – ciano, magenta, amarelo e preto. Este é o sistema de cores utilizado no processo de impressão offset, que é o mais comum nas gráficas, uma vez que permite obter um produto com melhor qualidade.

Se optar por manter as cores em RGB – vermelho, verde e azul – o software faz uma conversão automática. Neste caso, as cores podem sofrer alterações, porque a escala no sistema RGB é muito mais ampla que em CMYK.

 

 

3. Coloque uma margem de segurança de 2 mm

 

Já imaginou um flyer com uma palavra cortada? Ou um cartão de visita em que não é possível ver o número de telefone completo?

A sangria é extremamente importante para evitar um dos principais erros de impressão. Esta margem de segurança garante que, após o corte realizado no final do processo de produção, o material gráfico contém todos os elementos. Os 2 mm devem ser adicionados ao tamanho do produto impresso: por exemplo, para cartões de visita com as dimensões 85 x 55 mm, deve enviar um ficheiro para a gráfica com as dimensões 89 x 59 mm. Se possível, devem ter o mesmo fundo – desta forma, estará a assegurar que, se existir uma pequena alteração no corte, não existirão rebordos brancos.

 

Um outro aspeto importante é a margem de segurança para elementos de texto ou imagens – para além da sangria, deve reservar um milímetro da área do seu design. No fundo, trata-se de uma garantia para que, caso existe uma variação de corte milimétrica, o seu texto ou imagens não estejam envolvidos!

 

erros_3
A margem de sangria e a margem de segurança são muito importantes para garantir que o seu material gráfico não fica cortado.

 

 

4. Opte pelo tom preto certo

 

Se o objetivo é utilizar o preto como cor de fundo, deve ter atenção: a tinta preta, sem estar misturada com outras cores, não permite obter uma boa cobertura do papel. Por isso, deve misturar o preto com 30% de ciano.

 

Para textos, deve utilizar sempre o preto 100%: C 0%, M 0%, Y 0%, K 100%. Neste caso, a mistura de preto com 30% de ciano pode produzir um resultado indesejado, sobretudo quando se utiliza uma fonte com serifa ou em pequenas dimensões – o volume de tinta é muito elevado e pode não ser suportado.

Dica: Não utilize um tamanho de letra inferior a 7.

 

 

5. Não utilize imagens com baixa resolução

 

Para garantir uma boa qualidade de impressão, as imagens devem ter 300 dpi. Se optar por colocar imagens com resolução inferior, a definição será menor e, o material impresso, poderá ficar pixelizado ou sem nitidez. Por isso, mesmo que a imagem pareça ter qualidade no seu computador, jogue pelo seguro.

 

Opte por imagens com boa resolução e obtenha o resultado final que pretende obter.
Opte por imagens com boa resolução e obtenha o resultado final que pretende obter.

 

 

6. Evite que as sombras, efeitos e texturas fiquem diferentes

 

Quantas vezes já utilizou o efeito sombra e correu bem? Muitas.

E quantas vezes já utilizou o efeito sombra e correu mal? Muitas.

A verdade é que sempre que utiliza estes efeitos existe possibilidade de correr mal: a sombra fica com as cores invertidas, a transparência não fica igual, a textura desaparece e podem ainda ocorrer muitas outras anomalias.

Para não ter nenhum problema, depois de criar os degradês ou outros efeitos, converta-os em bitmap CMYK 300 ppi – no fundo, está a converter esses elementos em imagens. Só depois deve gerar o PDF X-1a.

 

 

7. Converta o seu texto em curvas

 

É muito frequente que se utilizem fontes de texto que não pertencem ao sistema de origem e, por isso, quando o ficheiro é aberto noutros computadores a fonte é substituída automaticamente. Quando se trata de enviar ficheiros para a gráfica, esta situação pode dar origem a um produto impresso com alterações no tipo de letra – um dos erros de impressão mais comuns!

Para evitar este problema, deverá converter o texto em curvas.

Mas o que significa converter o texto em curvas? É muito simples: este é o processo que permite incorporar as fontes no PDF para que, quando for aberto noutro dispositivo, o tipo de letra se mantenha.

 

 

8. Guarde em PDF X-1a

 

Não se esqueça das dicas anteriores e, no final, guarde o ficheiro em PDF X-1a. Este formato específico é indicado para a impressão e assegura que o seu ficheiro será impresso tal como o visualiza no seu computador.

Se já tiver o seu design criado e gravado em PDF X-1a, basta submeter o seu ficheiro. Depois, a 360imprimir produz o material gráfico e envia-o para a morada da sua preferência.

 

Saiba em detalhe como gravar em PDF X-1a em vários programas.

 

 

9 – Seja sincero consigo mesmo!

 

Se não percebeu nada do que estivemos a falar anteriormente, opte por contratar um serviço de design!

Nem todos sabemos fazer as mesmas coisas – e ainda bem! –, por isso, o melhor é contratar profissionais e ter um resultado de excelência. Na 360imprimir, por um valor muito acessível, pode solicitar um serviço de design personalizado!

 

Não perca tempo, encomende os seus produtos de marketing e garanta que não tem surpresas no final, evitando todos estes erros de impressão!

Este Artigo foi útil? Sim Não
Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta